Voice Care

Consultorias e Treinamentos em Comunicação

Você faz apresentações? Conheça a importância dos 5 minutos. — 07/07/2015

Você faz apresentações? Conheça a importância dos 5 minutos.

Por: Fernanda de Morais

Se você costuma ver seu público olhando o celular, ou pior ainda, bocejando enquanto você fala, coloque em prática as orientações abaixo.

speaker-mics

 

Talvez seja a velocidade do pensamento, ou então a quantidade de tarefas por fazer, ou mesmo os estímulos visuais e sonoros que somos vítimas o tempo todo os grandes vilões, e por conta disso, o Banco Britânico Lloyde TSB realizou uma pesquisa e identificou que a média da atenção de um adulto, que há um ano era de 12 minutos, despencou para 5 minutos. Portanto, hoje, somos menos concentrados do que éramos, e chamar a atenção de alguém por meio do fala, tornou-se um desafio ainda maior.

 

Para quem fala em público, a falta de atenção dos ouvintes é um grande problema.

. O que fazer para largarem o celular e prestarem atenção?

. O que fazer para lembrarem o que foi dito?

Outro grande inimigo dos apresentadores é o tédio.

. Então o que fazer para tornar a apresentação interessante, mesmo que o assunto seja técnico e aparentemente “chato”?

 

Se você planeja fazer uma grande apresentação, que poderá ter grande impacto em sua carreira profissional, prepare-se para garantir o máximo que puder o interesse do seu público-alvo.

 

  • Pense se o PowerPoint é realmente necessário.

Utilizar qualquer ferramenta de apresentação é muito bem visto quando você domina a sequência de slides, quando usa o artifício como auxiliar e não como protagonista e quando as informações estão facilmente visíveis. Segundo Steve Jobs, quem sabe o que vai falar, não precisa de PowerPoint.

 

  • Se utilizar slides, o menos é mais.

Caso a sua apresentação tenha 30 minutos de duração, use de 5 a 10 slides e mantenha uma ideia por tela, utilizando palavras-chave e não frases completas ou textos, que tornam a apresentação cansativa.

 

  • Não é somente o trabalho.

As grandes apresentações trazem informações importantes, números e histórias de sucesso e insucesso, que fazem uma conexão emocional entre o apresentador e o público. Você será lembrado se contar uma rápida história pessoal, dizendo quem você é fora da empresa, ou mesmo uma passagem engraçada de sua vida.

 

  • Varie a sua voz.

Variar o tom de voz, a velocidade de fala e o volume é fundamental para garantir a atenção do público, pois a mensagem ficará dinâmica, interessante e de fácil compreensão.

 

 

 

Anúncios
3 Estratégias para ter melhores relacionamentos interpessoais — 26/06/2015

3 Estratégias para ter melhores relacionamentos interpessoais

Rear view of group of friends hugging. Horizontal.
 

Quantas vezes no dia a dia percebemos “erros” de comunicação, em que você fala algo, mas o seu ouvinte entende diferente?

Esses “erros” têm relação direta não apenas com a mensagem, mas com a forma como falamos, gesticulamos, expressamos com o olhar e até mesmo na postura corporal.

Outro fator importante para estabelecer vínculo com alguém é nos importarmos com a pessoa. Todos gostamos de nos sentir valorizados, queridos e também de conversar com alguém que se interesse pelo nosso assunto.

Seguem abaixo, 3 estratégias para você aproximar as pessoas.

. Demonstre interesse, fazendo perguntas relacionadas ao assunto. Fale menos e escute mais, evitando interrompê-lo. Não julgue imediatamente. Aguarde os 3 minutos iniciais

. Expresse com o olhar o quanto está atento ao assunto. Evite distrações como: assistir TV, responder mensagens no celular ou ainda olhar no relógio. Esteja 100% concentrado. Faça acenos com a cabeça durante a interação.

. Use interjeições durante a conversa como: “entendo, exatamente, sei como você se sentiu, eu posso imaginar”, que demonstrará que você realmente dá valor à pessoa e ao seu assunto.

Vamos praticar?

Desenvolva a sua habilidade de comunicação, e ganhe amigos, admiradores e oportunidades profissionais.

Até a próxima!

Um forte abraço,

Fernanda de Morais

 

 

MEDO DE FALAR EM PÚBLICO É MAIOR QUE O DE MORRER — 02/02/2015

MEDO DE FALAR EM PÚBLICO É MAIOR QUE O DE MORRER

medo de falar_imagem

Segundo a pesquisa do jornal Sunday Times, realizada com 3 mil entrevistados que deveriam classificar os seus medos por ordem de grandeza, em disparada, o medo de falar em público foi o campeão, quando comparado ao medo de “partir desta para uma melhor”.

O estudo indicou que expor as ideias em público é o maior medo para 41% dos entrevistados, seguido pelo medo de ter problemas financeiros (22%), e da morte (19%).

Diariamente enfrentamos nossos medos, como: o medo da entrevista de emprego, o medo de conhecer o novo chefe, o medo do primeiro encontro com alguém, o medo do novo colégio, e o medo de apresentar um resultado não muito satisfatório na reunião com a diretoria da empresa. E o principal pensamento que preenche a nossa mente é:

“Será que vão gostar do que estou falando?”, e assim, o foco vai exatamente para onde não deve ir, já que o mais importante é a mensagem que será partilhada.

As situações do dia a dia nos impulsionam a respirar fundo, engolir a saliva à seco e encarar.

Falar em público não é diferente. Os contextos mudam, a intensidade do medo varia, e a melhor forma de se sair bem é estar PREPARADO.

Compartilho abaixo, 3 dicas para driblar o medo de falar em público.

  • Visualize o cenário em que irá falar e ao preparar o conteúdo de sua mensagem lembre de treinar cumprimentando as pessoas, sorrindo e agindo naturalmente. Quando planejamos a mensagem, nos sentimos mais confiantes, e quando somos convidados ou convocados a falar à respeito de algo, é porque temos conhecimento suficiente para tal.
  • Respire fundo, olhe para o público e inicie a sua fala, com calma, tendo o cuidado de falar articulando bem os sons e com um volume suficiente para que todos compreendam.
  • Ao finalizar o assunto, faça uma síntese, um resumo dos principais pontos da sua mensagem, e não esqueça de agradecer de forma espontânea.

Lembre-se: “Se você pensar duas vezes antes de falar, falará duas vezes melhor” – autor desconhecido.

Conheça mais dicas para praticar em seu dia a dia em nosso Áudiolivro: Comunicação Empresarial – Técnicas de Apresentação em Público.

Basta entrar no link e baixar em seu celular ou computador:

http://tocalivros.com/sugestao-toca-livros-home/comunicacao-empresarial-apresentacao-em-publico-voicecare-fernanda-de-morais.html

 

Até o próximo artigo!!!

Fernanda de Morais

fernanda@voicecare.com.br

IMG_6771

Dicas para um Elevator Pitch de Sucesso — 10/11/2014

Dicas para um Elevator Pitch de Sucesso

blog6

Olá!!

Em nosso último artigo, falamos à respeito do elevator pitch, que representa um espaço curto de tempo para dizermos algo de forma objetiva e impactante.

Hoje, trago algumas dicas importantes para ter sucesso ao apresentar suas ideias.

  • Apresentação Pessoal Coerente

Segundo pesquisas, levamos 3 segundos para transmitir uma boa primeira impressão às pessoas, e pensando nisso, a apresentação pessoal deve estar impecável, com um traje que seja adequado ao ambiente em que está.

  • Tenha um Sorriso sincero

Iniciar o papo com um sorriso no rosto, demonstrando vontade de colaborar e não somente ganhar, também fará toda a diferença no resultado.

  • Esteja preparado

Situações de improviso aparecem o tempo todo, e estar preparado é fundamental para falar de forma clara e sucinta. Antecipe a situação, e pense no assunto, escreva os principais pontos de forma estruturada, partindo do amplo para o específico. Um ótimo primeiro passo é treinar a apresentação de sua atuação profissional, que é um assunto comum e de grande relevância em várias situações.

  • Adeque o assunto ao público

Após organizar a mensagem, pense nos diferentes públicos que poderia apresentar: pessoas leigas no assunto do seu dia a dia, a uma criança, a um cargo superior ao seu, pode ser um ótimo treino.

  • Experimente

Busque uma situação em que possa colocar em prática o seu elevator pitch. Falar é uma habilidade, e a percepção e a prática são essenciais para o seu desenvolvimento.

Compartilhe conosco suas experiências!

Um forte abraço e até o próximo artigo!!

IMG_6771

Fernanda de Morais

Coach de Performance Comunicativa

Fonoaudióloga e Palestrante

Saiba mais sobre nossos cursos, palestras e workshops em:

www.voicecare.com.br

voicecare@voicecare.com.br

O poder de um Pitch Elevator eficiente — 13/10/2014

O poder de um Pitch Elevator eficiente

200487893-001

Você já ouviu falar em elevator pitch?

Traduzindo para o português, elevator, elevador e pitch, trata-se de uma abordagem de vendas, ou seja, a expressão ilustra um encontro casual com alguém importante que você nunca teve oportunidade de conversar, e agora tem um curto espaço de tempo (em média 30 segundos a 2 minutos) para vender uma ideia, trocar um cartão e deixar uma boa primeira impressão.

Em muitas situações, as conversas rápidas de elevador podem ser oportunidades de falar à respeito da atuação profissional, e assim como o ditado diz: “quem é visto, é lembrado”, esta pode ser uma chance de fazer novos negócios.

Parece simples, mas para muitas pessoas, é um desafio falar à respeito do seu dia a dia profissional em 1 minuto, e para isto, a mensagem deve ser objetiva, clara, estruturada e dita com entusiasmo.

Desafio Voice Care:

Faça o teste!

Prepare o cronômetro e o gravador e diga em 1 minuto sua principal atuação profissional.

Ficou claro? Interessante?

Você ficaria interessado em fechar uma parceria com essa pessoa?

Um forte abraço e até o próximo artigo, em que apresentarei dicas para criar um elevator pitch eficiente.

Fernanda de Morais

Coach de Performance Comunicativa

Fonoaudióloga e Palestrante

Saiba mais sobre nossos cursos, palestras e workshops em:

www.voicecare.com.br

voicecare@voicecare.com.br

Muito além das palavras — 07/10/2014

Muito além das palavras

BLOG4

Você já reparou que sempre que falamos com alguém ficamos com uma imagem da pessoa, que pode ser agradável ou desagradável?

Algumas pessoas nos encantam com o seu discurso e com a forma como aborda o assunto, e já outras, sentimos no mesmo instante que o “papo” não vai durar muito tempo.

Sempre que conversamos, dois diálogos acontecem: um é baseado nas palavras, e o outro no tom de voz. Algumas vezes os dois combinam, mas muitas vezes não.

Quando você pergunta a uma pessoa: “como está?” e recebe e a resposta “bem!”, normalmente você não se baseia na palavra “bem” para saber como ela se sente. Você ouve o tom de voz para saber se a pessoa está realmente bem, ou se está triste, preocupada,… ou sentindo qualquer outra emoção.

As entrelinhas revelam e muito o sentido real da mensagem.

Para treinar esta habilidade, que também é uma técnica para negociação, vendas e persuasão, apresento três dicas:

  • Escolha um momento para se concentrar na voz, e não nas palavras – observando mais que falando.
  • Compare a voz com a linguagem corporal e com as palavras da pessoa e note se combinam.
  • Grave a sua voz em uma conversa e observe que impressões você transmitiu.

Um bom comunicador é atento aos sinais mínimos que são ditos pelo outro e por si mesmo.

Um forte abraço e até o próximo artigo.

Fernanda de Morais

Coach de Performance Comunicativa

Fonoaudióloga e Palestrante

Saiba mais sobre nossos cursos, palestras e workshops em:

www.voicecare.com.br

voicecare@voicecare.com.br

Dicas úteis para tornar-se um bom ouvinte — 29/09/2014

Dicas úteis para tornar-se um bom ouvinte

blog2

Você acha que um bom comunicador é também um bom ouvinte?

A resposta é sim!!

Um recente estudo publicado no Journal of Research in Personality, indicou que as habilidades de escuta têm um efeito maior para influenciar as pessoas, quando comparadas às de fala, porém aprender a ouvir é mais difícil do que aprender a fazer boas perguntas.

Muitas pessoas se preocupam em manter a linha do raciocínio, usar vocabulário técnico, falar com confiança, treinar excessivamente o conteúdo de sua apresentação, e pouco se preocupam em ouvir o interlocutor.

Ouvir é essencial, mas como parece um ato passivo, é frequentemente subestimado.

Conheça algumas dicas úteis para ouvir com atenção.

  • A primeira regra do bom ouvinte é não interromper: quando interrompemos alguém, rompemos a linha de raciocínio, mesmo que por um breve momento. Aprenda a dar atenção e espere a sua vez.
  • Mostre empatia: resista ao impulso de corrigir, criticar, olhar maldosamente durante uma conversa. Se não for conveniente dizer alguma coisa agradável, não diga nada. Isso fará as pessoas confiarem em você.
  • Envolva-se, mas não seja intenso demais: faça acenos com a cabeça, diga as expressões “entendo, certo, correto, compreendo…”, e evite o olha fixo, sem piscar, que pode parecer ameaçador.

Lembre-se de ouvir com todos os sentidos e tenha excelentes relacionamentos.

Um forte abraço e até a próxima.

Fernanda de Morais

Coach de Performance Comunicativa

Fonoaudióloga e Palestrante

Saiba mais sobre nossos cursos, treinamentos e workshops em:

www.voicecare.com.br

voicecare@voicecare.com.br

Os sete pecados da Comunicação Verbal – número 1 — 29/07/2014

Os sete pecados da Comunicação Verbal – número 1

Você já parou para pensar no poder que tem a nossa comunicação?

Pode tanto iniciar uma guerra, como ser um excelente canal para demonstrar paixão.

Alguns maus hábitos podem afastar as pessoas de nos ouvirem, podem nos tornar companhias desagradáveis e até mesmo dificultar a ascensão profissional.

Vamos conhecer o primeiro mau hábito:

  • A FOFOCAgossip

 

Falar de alguém que não está presente, e ainda falar mal não é a melhor forma de atrair colegas. Fofocar é dizer algo sem dados concretos, especulando a vida alheia.

Embora seja um hábito relacionado às mulheres, as estatísticas demonstram que os homens são mais fofoqueiros (7% mais que as mulheres) (Fonte: Social Issues Research Centre), e a mesma pesquisa também constatou que os homens costumam falar mais de si mesmos, sobre gafes de colegas e mulheres, e as mulheres fofocam como maneira de passar o tempo.

 

E você? Qual tem sido o teor de suas conversas?

 

No próximo artigo, confira o 2º pecado da comunicação verbal.

Abraços,

 

Fernanda de Morais

Coach de Performance Comunicativa

Fonoaudióloga Mestre e Especialista

fernanda@voicecare.com.br

voicecare.com.br

voicecarepalestras.com.br

 

 

 

 

 

Workshop Apresentação Vencedora — 18/07/2013
Consultoria de Imagem Masculina em uma Entrevista de Emprego — 25/04/2013

Consultoria de Imagem Masculina em uma Entrevista de Emprego

Amigos, apresento a vocês mais um parceiro da Voice Care, o Consultor de Imagem: Alexandre Taleb, que compartilhou dicas fundamentais para quem vai passar por uma Entrevista de Emprego.
Confira!
Abraços, Fernanda de Morais.

 

A imagem visual não-verbal que você transmite nos primeiros 30 segundos de um encontro é o suficiente para que seu interlocutor tire todas as impressões sobre você baseadas em sua aparência pessoal. Se o impacto for positivo, ótimo, mas, se negativo, a tendência é de recusa.
A aparência pessoal, como homens e mulheres se vestem no dia-a-dia e em ocasiões especificas, tem grande importância. No Mundo de hoje, a imagem externa que projetamos exerce papel de destaque e, quando o homem corporativo transmite uma imagem com qualidade, ele desenvolve a grande vantagem competitiva.
Entrando no outono, e com a chegada do frio, começamos a retirar malhas e casacos do armário. No Brasil, faz calor à maior parte do tempo, então, a maioria das pessoas compra roupas mais leves e deixam as mais pesadas em segundo plano. Por este motivo, acabamos passando anos sem comprar uma roupa de inverno e, nos dias de frio, resgatamos dos guarda-roupas modelos de anos atrás. Existem peças de roupas, as chamadas clássicas, que nunca saem de moda e têm roupas antigas e velhas que jamais deveriam sair do armário. O profissional não deve jamais ter uma imagem datada de época e sim uma imagem contemporânea e importante para qualquer ambiente profissional. Invista em você, é importante.
Eu aconselho que a pessoa se informe sobre o perfil da empresa. A necessidade de adequação se dá porque a maneira como a pessoa se veste é também um código pelo qual a organização se expressa. Toda empresa tem uma imagem a passar, e até o ramo de negócios em que ela atua acaba influenciando a roupa que a pessoa usa. A roupa que os funcionário usa é um cartão de visita daquela empresa.
Tem candidato que vem para uma entrevista parecendo uma vitrine de marcas famosas. Com terno italiano, com tudo de bom, mas não tem o “Estilo” dele. A pessoa transmite essa imagem, mas parece uma coisa muito montada: “Esse veio para a entrevista”. É importante que ele tenha um visual interessante para garantir o sucesso em uma entrevista, mas tem de dosar.Para o ambiente formal, terno e gravata com um caimento bom, bainha bem-feita, o modelo tem de ser proporcional à pessoa. Quanto às cores, somente use azul-marinho, cinza e preto e jamais “nunca” use terno roxo, branco ou abóbora. Para o ambiente informal, blazer com calça de alfaiataria, preferencialmente escura, e camisa em cor clara. Sapatos de amarrar discretos. Nos acessórios, apenas relógio e aliança.
Nesses tempos de crise, ao invés de consumir e gastar em novas peças de roupas use a criatividade. Um novo olhar para combinar aquilo que já possuímos é o trabalho que o Consultor de Imagem faz para você.
Comparecer adequadamente trajado para uma entrevista de emprego, no mínimo, ajuda a manter a atenção nos aspectos fundamentais da conversa, Se você está com uma roupa muito fora de contexto, ou muito “gritante”, tira o foco da atenção do entrevistador. Ele começa a ficar incomodado com aquela vestimenta e presta menos atenção ao seu conteúdo. Sua roupa e acessórios nunca devem chamar mais atenção que você. Lembre-se o MENOS é MAIS!
Boa sorte.
Abraços,
Alexandre Taleb
alexandre taleb

Alexandre Taleb é Consultor de Imagem, membro da AICI (Association of
Image Consultants International).

Assessora pessoas e empresas a atingir autenticidade, credibilidade e
autoconfiança através da imagem pessoal.

Ministra palestras e workshops sobre imagem, etiqueta, comportamento e estilo em empresas.

Trabalha como personal stylist para homens.

Faz parte do quadro Arruma Meu Marido há quase três anos com o apresentador Rodrigo Faro na Rede Record de Televisão.